Todo mundo pode

Esmaltes: melhor importado ou nacional?

Posted on: janeiro 15, 2010

Por Maria Carolina Santos

Nunca fui muito de fazer as minhas próprias unhas. Mas, lembrando o velho ditado de que a necessidade blá blá blá…um dia eu me vi nos Estados Unidos com a manicure mais próxima cobrando US$40. Não tive dúvidas: fui ao Walmart comprar esmalte. Chegando lá, a primeira surpresa: o preço. Acostumada a pagar R$2, R$3 num vidrinho, achei o cúmulo dar US$5 numa embalagem de 10ml de uma marca popular…Mas, ok, melhor que pagar os US$40. Cheguei em casa, usei o produto e achei lindo. Tão bonito quanto o que minha manicure fazia na minha casa por R$10.

BonBons...pequenos, lindos e fáceis de usar. Só não conte com eles para o dia seguinte...

No outro dia, porém, mais uma surpresa desagradável: já estava descascando!! O que durava pelo menos cinco dias no Brasil, não agüentava nem dois nos EUA. Durante muito tempo falei horrores dos esmaltes americanos e me enchia de orgulho de viver em um país com esmaltes tão duradouros. Mas as cores gringas eram lindas. Pouco a pouco me encantei pela marca mais baratinha, os minúsculos BomBons e suas embalagens de 5ml. E os da loja Charlotte Russe e suas cores flúor incríveis (tipo marca texto!). Com o tempo, aprendi que era só passar uma base incolor por cima que o produto durava quase tanto quanto os meus amados Risqué, Colorama…Enfim, aprendi a ser feliz com as cores de lá. Mas vez ou outra dava aquela saudade dos esmaltes extra duradouros…

Primeira tentativa de aplicar esmalte na volta ao Brasil (ok, ainda com cutículas :P). Passei quatro camadas da cor Jéssica da QTok. Aliás, essa cor não parece com a do batom Snob?

Quando cheguei no Brasil não perdi tempo: fui logo comprando mil esmaltes por R$2 – e ainda aproveitei uma promoção de esmaltes QTok (cores lindas!!!) por R$1. Mas ao aplicá-los meus sonhos se revelaram ilusões:constatei que esmalte brasileiro é MUITO mais grosso que o americano. Tipo, 4 ou 5 vezes mais grosso. Resultado? Eita aplicaçãozinha difícil (para uma amadora, claro)!!! O que eu levava 10 minutos para fazer com os esmaltes gringos eu levo 30, 40 minutos para fazer com os da terrinha. Além de grossos, demoram a secar, embolotam e se acumulam no final da unha. Na hora, bateu aquele banzo dos BonBons.

Sendo mais racional, percebi que os esmaltes americanos se adaptam ao padrão de lá. Como manicure é super caro, muita gente faz as próprias unhas. Por isso, o esmalte pode até não durar, mas qualquer pessoa acha fácil de aplicar. Parecem adesivos. Já os brasileiros, têm a vantagem de ser duradouros, e por isso mesmo são mais grossos e ficam muito melhor quando aplicados por quem tem experiência na coisa. Enfim, cada um tem seus prós e contras.

Serviço:

Esmalte QTok na promo por R$1: Loja da Mulher, esquina da Conde da Boa Vista com a Rua do Hospício.

Anúncios

1 Response to "Esmaltes: melhor importado ou nacional?"

oi eu ñ gosteodesse esmalte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Todo mundo pode!

Um blog para mostrar que moda, beleza e feminices estão ao alcance de todas. Por Roberta Meireles

Twitter

%d blogueiros gostam disto: